A Lei do Desapego

6 fev

Ultimamente tenho notado o quanto as pessoas pregam o Desapego. Batem no peito e dizem com orgulho que não se apaixonam, não criam expectativas, não estão nem aí se a pessoa com quem se relacionam ficar com outra, conseguem se relacionar com duas ou três pessoas ao mesmo tempo, o tal do poliamor também tem se tornado mais frequente, e ouço diversas vezes por dia o termo “amor livre” … tenho amigos(as) que me dizem o tempo todo para não me apegar, para ser mais desencanada, como se esse comportamento fosse regra social e eu não pudesse fazer diferente, nem pudesse querer uma relação monogâmica, como se qualquer outra forma de amor não fosse livre.

Já tentei, e não consegui nem consigo ter relacionamentos abertos e praticar o desapego. Está na minha essência ser apegada – mas não possessiva, acho que existe um abismo de diferença entre essas duas coisas. Às vezes me sinto uma incompetente por não conseguir ser desapegada, preciso me respeitar mais e me aceitar mais. E seria legal também que as pessoas parassem de emitir suas opiniões como se fossem uma verdade universal. Em tempos de comportamento massificado, qual o problema em ser diferente? Em sentir diferente? Qual o problema em não querer objetificar as pessoas com quem me relaciono ou em querer estar com elas porque gosto delas e não somente porque me satisfazem?

Imagem Tenho percebido também que as pessoas relacionam apego à satisfação do próprio ego, egoísmo. Acho que os significados de algumas palavrinhas aqui andaram sendo distorcidas. Segundo o dicionário Houaiss, egoísmo é apego excessivo, ao passo que egocêntrico é alguém que não se importa com os interesses alheios. Apego significa ter estima, afeição por algo/alguém. Enquanto desapego é desinteresse, desamor, e desapegar é não ter envolvimento. Acredito que esses indivíduos ditos desapegados sejam os verdadeiros egocêntricos, porque não estão a fim de se doar ao outro, enquanto o apegado está.

Se antes eu sentia que havia uma pressão para namorarmos, casarmos e termos filhos – normalmente vinda de pessoas mais velhas ou de círculos sociais mais conservadores – , hoje a pressão é para sermos desapegados. Eu, particularmente, não me encaixo em nenhuma das duas categorias, estou perdida num meio-termo que ninguém parece entender ou respeitar. Um ex meu até disse que só porque sou feminista, eu deveria ser mais moderninha nessa questão de relacionamentos. Honestamente acho que uma coisa não implica a outra, mas às vezes penso que estou fora do meu tempo. Ou todos nós estamos, já que esta parece ser uma época de transição de valores, princípios, sensações. É melhor ter sentimentos ou não tê-los? É melhor se doar, se entregar ou ser uma pessoa fria? Cada um sabe o que é bom pra si mesmo. Eu prefiro sentir.

Anúncios

8 Respostas to “A Lei do Desapego”

  1. marielfernandes 18 de maio de 2014 às 13:29 #

    As pessoas têm opinião, algumas com um certificado de certeza absoluta, o que é sempre uma coisa chata. Eu seria mais prudente com simplificações. Desapego é igual a moreninho, apego é conservador, feminismo é 1 machismo é 23. Não te vejo perdida entre dois mundos. Há uma gradiência nos valores. Ela depende de estado de espírito, nível de auto conhecimento, valores pessoais, valores do grupo. Desencana do certo e do errado e veja o que te interessa e faz feliz daquilo que te distancia de si mesma, hum?

  2. JuFilakoski 2 de abril de 2014 às 21:23 #

    Oii amore, tudo bem com você?
    Quero avisar a você que o endereço do blog maniados3.wordpress.com mudou para http://identidademoda.wordpress.com/ e você é super bem vinda nesse novo espaço!
    Vai ser um prazer enorme ter você por lá!
    Um beijo da Ju e fique com Deus!
    Juli Filakoski.

  3. karlahill 11 de fevereiro de 2014 às 09:53 #

    Parabens pelo blog! Vou acompanhar sempre que puder!
    De uma passadinha no meu tbm!
    Um beijo em ti linda!!!
    http://www.karlahill.com

    • batomesalto 11 de fevereiro de 2014 às 10:04 #

      Obrigada!
      Vou visitar o seu também! 🙂

      • karlahill 11 de fevereiro de 2014 às 10:05 #

        obgda
        Beijos ♥

  4. rosaniabastos 6 de fevereiro de 2014 às 18:33 #

    Para mim, o “desapegar-se” deve e precisa ser difundido no que tange às coisas materiais. Desapegar-se das pessoas é um absoluto cinismo para com a vida. ABS.

    • batomesalto 6 de fevereiro de 2014 às 21:38 #

      O problema maior é que os valores estão se invertendo: desapega-se das pessoas, apega-se a coisas materiais…

      • rosaniabastos 8 de fevereiro de 2014 às 12:58 #

        Você tem toda a razão. bj.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

LÍNGUA E LITERATURA

PROFESSORA MARIA LÚCIA MARANGON

A&D SCHOOL

studiarenonfamale-prof.Spagnuolo

A Bookaholic Girl

Blog sobre livros e um pouco de todo universo literário!

Arsenal de Ideias

Blog voltado ao universo da literatura! Aproveitem.

%d blogueiros gostam disto: