Para atrair as borboletas

18 nov

Janaína gostava muito de cuidar de plantas e admirá-las. Tinha um grande jardim em sua casa e seu maior desejo era vê-lo todo florido, com plantas belas e verdinhas, atraindo beija-flores e borboletas. Sempre se chateava pois não conseguia fazer suas pequenas mudas florescerem: cada vez que um botão nascia, mal desbrochava e caía. As plantas não cresciam, estavam sempre murchas, com folhas amareladas.

Ela se perguntava se o problema era falta de água, ou falta de adubação, se era por causa do sol, ou, ainda, se não estaria fazendo a poda na lua adequada. Janaína via seus vizinhos com jardins lindos, onde havia ninhos de pássaros e flores das mais variadas. Não sabia o que estava fazendo de errado. Ficava cada vez mais desesperada e ansiosa quando alguma plantinha começava a crescer e não vingava.

Resolveu perguntar para a vizinha do lado o que ela fazia. Ela foi taxativa: muito adubo! Como era possível que Janaína não houvesse pensado nisso antes? Que solução simples. Comprou vários fertilizantes, em bastão, líquido e em pó, espalhou pelo jardim e pensou que era só esperar. Mas dali um tempo, algumas plantas ficaram com as folhas deformadas, outras ficaram parecendo queimadas, e umas tantas secaram.

Tentou também a técnica do vizinhojardim florido mulher que morava na casa da frente: deixar que a natureza se encarregasse de cuidar. Pensou que era uma boa ideia. Quem melhor do que a própria natureza para fazer suas plantas se desenvolverem? Mas foi uma época de estiagem, e suas plantas secavam cada vez mais, algumas até morreram de vez. Para ela não havia dado certo. O vizinho deveria ter algum segredo a mais, pois o jardim dele continuava verde, e o de Janaína estava seco!

Olhava com dó para seu jardim quase morto. Revoltou-se e pensou em dar uma mãozinha, aguando as plantas durante esse período sem chuvas. Com um regador na mão, aproximou-se de um arbusto do que deveriam ser prímulas, e que eram um punhado de hastes e folhas secas. Sentiu vontade de chorar. Foi regando aos poucos, pedindo àquela planta que crescesse, que ao menos ficasse verde, nem se importava mais em ter lindas flores, contanto que tudo estivesse verde.

Foi ajudando as plantas a se recuperarem aos poucos. Já não esperava muita coisa, desde que não ficassem amarelas nem morressem. Nem se deu conta de que algumas delas começavam a desabrochar sem grande esforço. E foram tantas que fizeram isso ao mesmo tempo, que Janaína quase nem acreditou. Quando notou, o jardim já atraía borboletas, abelhas, joaninhas, beija-flores, e até joões de barro escolheram suas árvores para fazer casa. Nem sabe dizer quando foi que as primeiras chegaram, pois talvez tenha demorado a perceber. Tampouco sabe o que fez de diferente para que tudo mudasse, mas apenas mudou, para coisas mais positivas e mais belas.

Porém, como qualquer jardim bem cuidado, não atraía apenas seres bonitos, meigos, benéficos. Vieram lesmas e taturanas, aranhas e sapos. O ambiente hospitaleiro traz todo tipo de aproveitador. Ainda assim, não podia ser ingrata com todos os animaizinhos por causa de uns poucos mais grotescos ou assustadores, era só afastar esses ou ignorá-los. Afinal, manter o jardim bem cuidado e atrair coisas bonitas e boas eram seus objetivos, não? Janaína telvez sempre soubesse como deveria fazer para que seu jardim florisse, apenas relutava em acreditar que haveria um método único, aplicável apenas a si própria. E talvez também não soubesse que só conseguiria cuidar dele quado  já estivesse suficientemente preparada para isso. E como aconteceu? “Não sei, só sei que foi assim”.

Anúncios

4 Respostas to “Para atrair as borboletas”

  1. Júlia Albuquerque Vieira 13 de dezembro de 2014 às 20:11 #

    Jéssica adorei seu texto tal como Janaína seu jardim … porque sim.
    Beijos aqui do frio de Lisboa
    Júlia

    • Jéssica 17 de dezembro de 2014 às 23:34 #

      Obrigada, Júlia! Fico feliz em saber que tenho uma leitora além-mar 🙂

  2. marielfernandes 23 de novembro de 2014 às 22:15 #

    Janaína desabrochou a si mesma, hum?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

LÍNGUA E LITERATURA

PROFESSORA MARIA LÚCIA MARANGON

A&D SCHOOL

studiarenonfamale-prof.Spagnuolo

A Bookaholic Girl

Blog sobre livros e um pouco de todo universo literário!

Arsenal de Ideias

Blog voltado ao universo da literatura! Aproveitem.

%d blogueiros gostam disto: